Com pouco mais de 120 mil habitantes, a região é marcada por forte imigração europeia, especialmente de croatas (estima-se que cerca de metade da população local seja descendente da nacionalidade). Isso porque a primeira tentativa de colonização da área – feita por espanhóis – falhou completamente. Todos os colonizadores...

Leia Mais
  • População 123.401 mil

  • Hora local 00:55

  • 100 Peso chileno R$ 0,54

  • Temperatura local Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Punta Arenas

Atrações turísticas em Punta Arenas

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Punta Arenas

Hospedagem em Punta Arenas

menor valor maior valor
Pousada R$ 106,49 R$ 302,40
Albergue R$ 121,89 R$ 358,91
Apartamento R$ 148,98 R$ 609,47
Hotel R$ 245,58 R$ 425,33

Alimentação em Punta Arenas

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 10,77 CLP 1996.80 a R$ 16,45 CLP 3049.80
  • Almoço


    R$ 14,24 CLP 2640.00 a R$ 23,30 CLP 4320.00
  • Jantar


    R$ 18,44 CLP 3420.00 a R$ 27,18 CLP 5040.00

Guia Punta Arenas

Com pouco mais de 120 mil habitantes, a região é marcada por forte imigração europeia, especialmente de croatas (estima-se que cerca de metade da população local seja descendente da nacionalidade). Isso porque a primeira tentativa de colonização da área – feita por espanhóis – falhou completamente. Todos os colonizadores morreram de fome ou frio, exceto um, que foi resgatado por navio. Mais para frente, no início do século XX, uma nova frente colonizadora chegou à região, agora liderada por croatas, que garantiram a expansão da Terra do Fogo chilena com a criação maciça de carneiros.

Até a abertura do Canal do Panamá, em 1914, Punta Arenas detinha também o principal porto de navegação entre os oceanos Pacífico e Atlântico. Essa também foi uma das razões que impulsionaram o desenvolvimento da área. Até os dias de hoje, a economia da cidade é baseada em atividades portuárias, mostrando o seu valor para os habitantes locais. Aliás, é do porto de Punta Arenas também que saem os principais cruzeiros com destino à Antártida, devido à sua localização estratégica no mapa!

Como principais atrativos, a cidade austral conta com o Museu Naval e Marítimo, trazendo diversos equipamentos e recortes históricos da marinha; a Plaza de Armas Benjamin Muñoz Gamero, onde ficam palacetes da época de criação de carneiros; o Instituto de Patagonia, que traz algumas lembranças dos primeiros colonizadores da Terra do Fogo; e o Museu Braun Menendez, localizado em um antigo casarão da época que mostra o luxo em que viviam os primeiros fazendeiros da região. Ainda nas imediações, o turista poderá visitar as Pinguineiras de Ilha Madalena e Seno Otway, que são um verdadeiro deslumbre para quem gosta de ver de perto uma das faunas mais exuberantes do planeta!

Como chegar

Infelizmente não há voos diretos do Brasil para a cidade mais austral do Chile. Para chegar lá, o viajante terá opções com geralmente uma ou duas conexões no meio do caminho. O fato certo disso tudo é que o turista deverá fazer uma parada em Santiago, capital do país, para então pegar outro voo com destino a Punta Arenas, que fica ainda a 4 horas de avião de lá. É um trecho longo e, por isso, caro. Quando for cotar a sua passagem verifique todas as alternativas (comprar tudo junto ou trechos separados, para entender qual valor vale mais a pena). Se a primeira opção for a sua escolha, a LATAM é uma boa pedida devido à boa diversidade de voos.

Nesse caso, o viajante desembarcará no Aeroporto Internacional Ibáñez del Campo (PUQ), que está localizado a 20km do centro da cidade. O hub de voos aéreos tem uma boa infraestrutura e garante uma chegada confortável ao turista. De lá até Punta Arenas são cerca de 30 minutos de carro. Para fazer o trajeto, você poderá alugar um veículo ou tomar um táxi ou transfer. Todas as opções são confortáveis e garantem uma boa locomoção ao viajante!

Outra opção muito comum para quem já está no Chile ou na Patagônia Argentina é fazer o trajeto por via terrestre. Após cruzar a fronteira entre os países, o motorista deverá pegar a Rota 255 (Monte Aymond – Punta Arenas) para chegar ao destino final. Se a sua ideia não for fazer uma road trip, há ainda a alternativa de buscar por uma companhia de ônibus que também faça o trecho. Nesse caso, apesar de a viagem demorar mais, o viajante economiza dinheiro para utilizar nos passeios da região, que possuem preços acima dos praticados em outras áreas do Chile.

Vida noturna

Uma cidade austral combina com passeios exuberantes feitos em lugares quase intocados pelo homem, certo? Certíssimo! Quem vai à Punta Arenas sem sombra de dúvida está em busca de ver a diferente paisagem e fauna que o “fim do mundo” tem a oferecer. Então as opções para sair à noite não existem, certo? Errado! Apesar de contar com passeios para entreter o turista durante toda a parte da manhã, a cidade ainda oferece opções para aqueles que querem esticar um pouco mais e não abrem mão de se divertir após um bom banho no hotel. É claro que Punta Arenas não será nunca um point mundial da diversão noturna, mas a região garante boas opções de restaurantes, bares e casas noturnas para fazer a diversão dos mais animados!

Situado na Plaza de Armas, o bar El Bodegon é uma alternativa para quem pretende tomar uma boa cerveja artesanal no coração da cidade. Com preços razoáveis, menu interessante e boa música, o estabelecimento atrai turistas de diferentes estilos, especialmente os mais jovens.

Já o Café Pub 1900 é uma das casas mais tradicionais e badaladas da cidade. Com decoração mais rústica, que conta inclusive com estátuas de índios, o local garante lanches enormes para quem quer realmente matar a fome. Além disso, a casa oferece um bom cardápio de cervejas artesanais e porções generosas. Localizado no centro da cidade, o Café Pub 1900 é uma das melhores opções para quem quer sair à noite em Punta Arenas.

Alguns outros lugares que devem entrar no radar do viajante são o La Taberna (um elegante bar subterrâneo com decoração old fashion), o Bodega 87 (que tem a tradição de servir drinks bem elaborados e cervejas locais) e o Jekus (um restaurante que funciona como ponto de encontro para happy hours, com karaokê inclusive).